Publicidade

Feirense é o melhor piloto estreante no Mercedes-Benz Challenge

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O feirense Rafael Mascarenhas (foto), 29 anos, conseguiu uma façanha que muitos jovens espalhados pelo Brasil sonham, mas poucos conseguem: ingressar no mundo do Automobilismo, por conta de ser uma modalidade esportiva cara, que exige muito poder aquisitivo de seus participantes. Em sua temporada de estreia no Mercedes-Benz Challenge (MBC), competição organizada pela montadora alemã no Brasil, disputada em São Paulo, Rafael Mascarenhas, conhecido nas redes sociais pelo sucesso no mercado financeiro, subiu ao pódio na etapa realizada no autódromo de Interlagos, no fim de semana dos dias 28 e 29 de agosto.

Pela idade, ele não viu o auge de pilotos brasileiros como Ayrton Senna, Nelson Piquet e Emerson Fitipaldi, porém desde criança sempre nutriu paixão pela velocidade. “Eu morava no Feira VI e na frente da minha casa tinha um vizinho que era como eu apaixonado pela Fórmula 1. Era uma coisa assim de doido, sabe? A gente não só assistia as corridas aos domingos, mas gravava as fitas-cassete e durante a semana assistia de novo. Meu pai começou a me incentivar, vendo que eu gostava mesmo e me dava jogos de videogame de velocidade e a minha paixão só aumentava a cada dia. Aquelas jogatinas no Nintendo me marcaram muito. Quando se é criança e você leva a sério cada detalhe daquele mundo virtual, você se sente realmente vivendo uma realidade. Tenho certeza que contribuiu, sim, para eu alimentar esse sonho até realizá-lo”, conta.

A sua grande referência foi o piloto alemão Michael Schumacher, de quem confessa ser um grande fã. “Quando o Senna morreu eu era muito novo, não acompanhei nada dele, porém o Schumacher é genial. Sempre fui muito fã da Ferrari também e, poxa vida, eu sonhava em ser piloto, mas sabia que era algo distante, mas ainda sim não deixava de acompanhar e lá no fundo eu ainda acalentava o sonho de quem sabe um dia chegar a sentar em um cokipit”, disse Mascarenhas.

O garoto cresceu e precisava ganhar a vida e foi atuando como trader no mercado financeiro, setor em que, hoje, é reconhecido como um dos maiores especialistas em Forex (mercado de câmbio) do País, mas ainda acalentava o sonho de menino. Ele começou a patrocinar eventos de automobilismo e foi assim que ingressou no meio. “Surgiu a oportunidade de ir a São Paulo correr. De vez em quando, junto com outros amigos, nos reunirmos, alugamos o espaço de Interlagos, seja pela manhã, pela tarde ou até mesmo o dia inteiro e ficamos treinando. Foi assim que teve início a minha carreira como piloto profissional”, explicou. “Numa destas brincadeiras um dos pilotos do Mercedes-Benz Challenge me observou, gostou e me indicou para fazer o teste. Fui aprovado e como já tinha a habilitação especifica veio a grande chance”, complementou.

Competindo na categoria C300, o piloto estreante terminou a prova na terceira colocação, posição atípica para um novato no automobilismo  foi o quarto a receber a bandeirada, mas ganhou uma posição com a desclassificação de outro piloto. Mascarenhas, além de ter subido ao pódio pela primeira vez, ganhou o prêmio de melhor estreante do grand prix. “Para mim é uma alegria muito grande e espero continuar nessa pegada vencendo novos desafios. Quero dizer para as pessoas que por mais que pareçam impossíveis os sonhos a gente nunca deve desistir, tem que tentar sempre porque mais cedo ou mais tarde acontece”, frisou.

Por Cristiano Alves

Foto – Divulgação

Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.