Publicidade
Publicidade
Publicidade

Acesso de dois times para a Série A criam novas perspectivas no futebol baiano

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A possibilidade de dois clubes subirem para Série B para a Série A do Campeonato Baiano era um pleito tentado pela Federação Bahiana de Futebol (FBF) nos últimos anos e com a aprovação da maioria dos clubes no arbitral do Campeonato Baiano (foto) realizado na última sexta-feira (19) se cria novas perspectivas de movimentação mais intensa no futebol do Estado como um todo.


A última vez que se teve dois clubes subindo e dois descendo de divisão no Campeonato Baiano foi em 2015 e já no ano seguinte se adotou a medida de um clube cair e outro subir, uma situação que inclusive causou grande impacto com algumas equipes inclusive abreviando as suas atividades no futebol profissional. “Com o formato que se tinha, a 2ª divisão estava disputada por no máximo oito times. Já se teve ano de seis apenas se habilitarem, o que é muito ruim porque praças de grande potencial estavam se abstendo de participar e isso enfraqueceu muito o campeonato. Nos anos anteriores tentamos mudar isso, mas os clubes se mostravam resistentes, porém, agora a situação mudou mesmo porque não se pode enxergar o futebol apenas por um prisma”, destacou Ricardo Lima, presidente da FBF.

Para o dirigente vários aspectos são contemplados com essa alteração. “O técnico porque se tem o retorno de clubes tradicionais e que estavam parados; o econômico porque se você tem mais clubes participando, automaticamente se criam perspectivas de empregos diretos e indiretos, até mesmo para a imprensa esportiva”, apontou.

Clubes como Juazeiro, Catuense, Galícia, Flamengo de Guanambi, Itabuna, Barreiras já demonstraram interesse em disputar a Série B que esse ano contou os retornos do Botafogo, Camaçari, Camaçariense e Grapiúna. “Muitos através dos seus dirigentes já nos procuraram, manifestando interesse e ainda teremos clubes como o próprio Fluminense de Feira que deve buscar seu retorno, a ADJ, o Canaã devem voltar a disputar e só quem ganha com isso é o futebol porque teremos competições muito fortalecidas no próximo ano”, afirmou Ricardo Lima.

Por Cristiano Alves

Foto – Ascom\FBF

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *