Publicidade
Publicidade

Corredora olímpica Graciete Moreira morre vítima de câncer

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

 

Ao longo do tempo a corredora Graciete Moreira superou vários desafios e obteve conquistas importantes. Porém, o seu mais recente desafio, ela não conseguiu superar: a luta contra um câncer descoberto em março deste ano e infelizmente ela faleceu hoje, aos 40 anos. O irmão da atleta, Joekson Moreira, confirmou a morte de Graciete que será sepultada na tarde de hoje no Cemitério Jardim das Flores, no bairro Novo Horizonte.

Graciete, que chegou a trabalhar como babá para sobreviver, nunca imaginou praticar Atletismo, embora na adolescência praticasse vôlei e até jogasse futebol com amigos e parentes. Porém aos 25 anos ela foi diagnosticada com a bulimima (distúrbio alimentar caracterizado por episódios de alimentação compulsiva, seguidos de métodos compensatórios e inadequados para evitar ganho de peso) e anorexia (transtorno que provoca uma perda de peso acima do que é considerado saudável e pode levar à morte). Dona Maria de Lourdes, mãe de Graciete, já estava desesperada quando a filha começou a fazer caminhadas e, pouco tempo depois, passou a corridas de 3 km e 5 km.

Graciete encarou a prática esportiva como essencial para sua sobrevivência. A partir daí vieram conquistas, consideradas improváveis para uma sertaneja nascida na pequena cidade de Serra Preta, no semiárido baiano, a 47 km de distância de Feira de Santana e 155 Km, de Salvador. Pesava 48 quilos e, no máximo, conseguia se classificar entre os corredores de sua faixa etária, bem longe do pódio.

Nessa época, Graciete conheceu o corredor Domingos Carlos Alves dos Santos, que percebeu o seu potencial e a levou à Associação dos Corredores Feirenses (Ascof). Ele passou a ser seu treinador e a corredora engatou então uma série de participações em corridas não só na região de Feira de Santana, mas em outras cidades da Bahia e outros Estados brasileiros. Ela começou a vencer provas e os desafios foram se tornando maiores.

DISTÂNCIAS MAIORES

Em 2011, Graciete passou a disputar provas de distância maior e o primeiro desafio foi a Meia Maratona de Londrina/PR, onde estava inscrita para correr entre os competidores comuns, mas ela acabou vencendo a prova. Em 2012, na maratona do Rio, o segundo melhor tempo de sua carreira: 2h42min. Terceiro lugar geral e primeiro entre as brasileiras. O terceiro melhor tempo 2h44min, foi obtido em Porto Alegre (segundo lugar geral e primeiro entre as brasileiras) e em Recife, onde foi campeã. Em 2016 Graciete competiu a sua primeira e única prova internacional em Sevilha na Espanha e com o tempo de 2h38min33s (12º lugar) e obteve o índice para as Olimpíadas do Rio, no mesmo ano.

O CÂNCER E A MORTE

Desde o começo deste ano, Graciete Moreira foi diagnosticada com um tipo muito severo de melanoma, câncer mais grave de pele, que tem sua origem provocada pela alteração maligna das células que produzem melanina. A atleta chegou a apelar nas redes sociais por ajuda para conseguir o tratamento pelo SUS e já estava fazendo tratamento de imunoterapia, porém não resistiu e veio a falecer. Mesmo tendo conseguido algum reconhecimento e até mesmo o patrocínio do Cruzeiro, em Belo Horizonte/MG, ela sempre preferiu morar em Feira de Santana ao lado do companheiro Domingos Carlos.  Graciete Moreira não deixou filhos e faria 41 anos no próximo dia 12 de outubro.

Por Cristiano Alves

Foto – Luiz Troina

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *