Publicidade

Fifa anuncia as 16 cidades-sede da Copa de 2026

Compartilhe este Post

A Fifa anunciou nesta quinta-feira quais serão as 16 cidades-sede da Copa do Mundo de 2026. Serão duas no Canadá, três no México e 11 nos Estados Unidos. Será o primeiro Mundial da história a ter 48 seleções participantes.

Confira as cidades:

Canadá: Vancouver, Toronto

MéxicoGuadalajara, Monterrey, Cidade do México

Estados Unidos: Seattle, São Francisco, Los Angeles, Kansas City, Dallas, Atlanta, Houston, Boston, Filadélfia, Miami, Nova York

Cincinnati, Denver, Nashville, Orlando, Pasadena, Washington, Baltimore.

A organização do Mundial e a Fifa dividiu as 16 cidades em três zonas, que ficaram assim definidas:

  • ZONA OESTE
    Vancouver (CAN), Seattle (EUA), Los Angeles (EUA), São Francisco (EUA) e Guadalajara (MEX)
  •  
  • ZONA CENTRAL
    Kansas City (EUA), Dallas (EUA), Atlanta (EUA), Houston (EUA), Monterrey (MEX) e Cidade do México (MEX)
  •  
  • ZONA LESTE
    Toronto (CAN), Boston (EUA), Filadélfia (EUA), Miami, Nova York (EUA)
  •  

Presente na transmissão, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, comentou sobre a escolha e o principal desafio no Mundial: a distância entre as sedes.

“Vamos tentar organizar a Copa de um jeito que as seleções e os fãs não tenham que viajar muito. No momento oportuno vamos decidir o local da abertura e o palco da final”, afirmou o presidente da Fifa

Será a segunda vez que os EUA recebe a Copa do Mundo – foi palco do Tetra, em 1994. Daquele Mundial, cinco cidades que foram sede serão em 2026: Los Angeles, São Francisco, Dallas, Boston e Nova York.

México recebeu os mundiais de 1970, quando o Brasil foi Tri, e de 1986, marcado pela grande atuação de Diego Maradona. O Canadá vai estrear como sede de um Mundial. “Em 2026, o futebol vai ser o esporte número 1 nesta parte do mundo”, brincou Infantino.

A de 2026 será a maior Copa do Mundo de todos os tempos, em vários aspectos. Será a primeira a ter três sedes – até então, com a exceção de Japão e Coreia do Sul em 2002, todas foram disputadas em apenas um país.

Também será a primeira a ter 80 partidas, em vez das habituais 64.

E, claro, será a primeira a ter 48 seleções. O inchaço no número de participantes da Copa do Mundo foi uma promessa de campanha de Gianni Infantino, eleito presidente da Fifa em 2016 e reeleito em 2019.

O aumento também vai gerar uma reorganização no modelo de disputa da Copa. Até o Catar-2022, as 32 seleções eram divididas em oito grupos com quatro times cada um. Os dois melhores de cada chave avançavam às oitavas de final – depois quartas, semis e final.

Divisão de vagas para Copa do Mundo de 2026

  • Uefa (Europa): 16
  • CAF (África): 9 mais um na repescagem
  • AFC (Ásia): 8 mais um na repescagem
  • Conmebol (América do Sul): 6 mais um na repescagem
  • Concacaf (Américas Central e do Norte): 6 mais um na repescagem
  • OFC (Oceania): 1

Agora, as 48 seleções serão divididas em 16 grupos de três. As duas melhores de cada chave avançam para o mata-mata, que terá uma fase anterior às oitavas de final. Quem chegar até a semifinal vai continuar fazendo o número máximo de sete partidas, mas as 16 seleções eliminadas na primeira fase terão feito apenas duas – contra três do formato atual.

Com mais vagas na Copa do Mundo, também é inevitável que as Eliminatórias sejam reformuladas. A Fifa delega a cada confederação continental a organização dos torneios qualificatórios.

A Conmebol, por exemplo, já deixou claro que vai aposentar o atual formato, com suas dez seleções se enfrentando em turno e returno, num sistema de pontos corridos. A América do Sul, que tinha quatro vagas diretas e mais uma na repescagem, agora vai ter seis diretas e mais uma na repescagem. A Conmebol trabalha para formular um novo modelo que seja interessante do ponto de vista técnico e comercial.

Fonte: GE foto:Camilo Pinheiro Machado

Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.