Publicidade

Mal conquistou o tri da Libertadores Palmeiras já arquiteta 2022

Compartilhe este Post

Mal conquistou o tricampeonato da Taça Libertadores da América, o Palmeiras já volta as atenções para 2022, quando o time terá um calendário repleto de competições importantes e todo o planejamento estratégico para que o time permaneça em alta está sendo traçado pelo gerente de futebol do clube, Cícero Souza (foto), que faz uma série de ajustes, principalmente por conta da troca de gestão com o encerramento do mandato de Maurício Galiotte e o começo da gestão de Leila Pereira na presidência do Verdão.

Dois dias após a conquista do terceiro título da Libertadores em cima do Flamengo, o Palmeiras já volta a todo o valor na parte de planejamento estratégico ainda mais com a definição do Campeonato Mundial de Clubes. A Fifa sorteou ontem, em Zurique, na Suíça, os confrontos do Mundial de Clubes, marcado para o período de 3 a 12 de fevereiro de 2022, nos Emirados Árabes Unidos. O Palmeiras vai enfrentar Al Ahly, do Egito, ou Monterrey, do México, na semifinal. “Com essa definição temos que correr contra o tempo para ajustar as férias dos atletas, tempo de preparação e toda a parte logística com relação á viagem e todos os seus detalhes. Sem falar que ainda temos uma reta final de Brasileiro, ou seja, temos que administrar tudo isso sem perder o pique, que é o nosso grande desafio”, ressaltou Cicero Souza em entrevista exclusiva ao Conexão Esportiva, que tem a coordenação de Miro Nascimento.

O Verdão conquistou o bicampeonato da Copa Libertadores da América e dentro do mesmo ano, já que em janeiro deste ano foi quando aconteceu a final de 2020 e Palmeiras foi campeão superando o Santos e no último sábado (27) conquistou a edição 2021 ao vencer o Flamengo. “Ainda tivemos uma Copa do Brasil, ou seja, estamos em um momento muito bom graças a todo um planejamento feito, que conflui em uma gestão objetiva que nos dá os subsídios para que possamos fazer o trabalho e manter a performance. Hoje temos todos os setores do clube integrados e convergindo em uma única situação. Conseguimos acabar com a ideia de contratar por contratar. Nada é feito a toa porque um passo em falso pode trazer complicações para um todo”, afirma Souza.

De acordo com o dirigente existem elementos essenciais para o time, que conta com 29 atletas no elenco principal obtenha sucesso. “Temos uma divisão de base que a cada dia se fortalece mais, um departamento médico eficiente e uma parte logística que somados ao lado técnico dão o sustento necessário para que possamos corresponder á altura as competições que disputamos. Vou dar um exemplo: a nossa base é integrada ao profissional, ou seja, a preparação é constante no sentido de que qualquer atleta quando requisitado seja inserido no elenco principal sem prejuízos para ele e para o clube”, explica

Com esse tripé, além de uma organização financeira, o Verdão segue firme, mas sem perder de vista o mercado da bola. “Nosso departamento de inteligência é outro importante setor porque nós temos um ‘mapa’ completo de atletas que inclui o perfil técnico e pessoal de cada atleta, o financeiro dentre outros detalhes, ou seja, quando vamos ao mercado e trazemos um atleta, não trazemos como se diz ‘no escuro’, ou seja, trazemos já sabendo tudo: do comportamento, passando por histórico de leões, até o que ele pode render em campo”, ressalta Cícero Souza. “As contrações que fazemos são pontuais, o que nos permite fazer um planejamento financeiro no sentido de saber o que fazer e como fazer, sem que venha a ter qualquer prejuízo no campo financeiro”, complementa.

ABEL

A grande questão do Palmeiras, no momento, diz respeito à permanência ou não do treinador português Abel Ferreira, 42 anos, que já entrou para a história do clube comandando as duas conquistas da Libertadores e da Copa do Brasil. Depois de conquistar seu segundo título consecutivo da Libertadores, no último sábado (27), Abel deixou o futuro em aberto, confessando estar em seu limite no que diz respeito à saúde mental e à saudade da família, que ficou em Portugal. “Ele tem contrato com o clube até o final de 2022 e nesse momento todos os esforços estão sendo feitos para que possa seguir na equipe , inclusive se trata de um desejo também da nova gestão do clube. Temos que aguardar as conversas, o desenrolar dos acontecimentos porque a permanência do Abel é fundamental para o planejamento do clube”, destaca Cícero Souza.

técnico Abel Ferreira (foto) recusou a proposta feita pelo Al-Nassr, da Árabia Saudita, e, por enquanto, segue como treinador do Palmeiras. A oferta era de aproximadamente R$ 127 milhões por um contrato até o meio de 2024. A informação foi publicada pelo ‘ge’ e confirmada pelo LANCE!/NOSSO PALESTRA. A recusa da proposta dos árabes deixa o Palmeiras mais aliviado para tentar a renovação, mas clubes dos Estados Unidos também fizeram sondagens por Abel, além do Besiktas, da Turquia.

Por Cristiano Alves

Fotos – Agência Palmeiras e Juan Mabromata/AFP)

Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.