Publicidade

Presidente da FBF acredita que Baianão 2022 deve ser o mais equilibrado dos últimos anos

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O Campeonato Baiano 2022 começa neste fim de semana e pelo que está sendo “desenhado”, a tendência é que seja a competição mais disputada dos últimos anos. Esta é a visão do presidente da Federação Bahiana de Futebol (FBF), Ricardo Lima a cerca do certame que traz novidades em relação aos anos anteriores.

Mesmo vindo de um ano atípico, onde os clubes baianos não foram bem nas competições que participaram, o presidente da FBF acredita que o Baiano 2022 será motivado. “Temos esta expectativa porque os clubes do interior têm buscado se fortalecer cada vez mais com os seus projetos, com investimentos significativos. Outro aspecto é que Bahia e Vitória estarão em campo com seus times principais, o que é um atrativo a mais para o torcedor que mesmo de forma limitada volta aos estádios”, afirma Ricardo Lima.

Outro aspecto enfocado pelo presidente é o rebaixamento de dois times para a 2ª divisão do Campeonato Baiano. “É uma responsabilidade a mais para as equipes porque antes de qualquer coisa precisam pensar na manutenção na Série A e para isso precisam estar bem com bons times, ou seja, estaremos vendo em campo uma competição motivada e por conseguinte a 2ª divisão, que será disputada mais adiante também ganha um novo fôlego, de forma que estamos otimistas sobre a competição”, comentou Ricardo Lima.

O fortalecimento dos clubes do interior é algo que o presidente da entidade considera evidente. “O processo de gestão vem amadurecendo.  Um projeto que contempla a boa gestão. Tivemos a Juazeirense chegando às oitavas da Copa do Brasil. O próprio Jacuipense vem fazendo um trabalho belíssimo, com um projeto de base belíssimo. Em 2022, nossos clubes voltarão aos lugares de onde nunca deviam ter saído”, elogiou. 

A nova onda de Covid-19 pela qual o Brasil vem passando é outra preocupação. Ricardo Lima revelou que, caso haja adiamento de rodadas, a FBF não terá datas para realocar os jogos. Apesar disso, garante estar trabalhando “com todas as variáveis”.  “Sabíamos do risco. Avaliamos e colocamos o plano de vacinação para ser utilizado dentro do campeonato. Estamos trabalhando com as comissões médicas, e avaliado dia a dia esses casos. Temos um grande problema na região nordeste, porque disputamos Nordestão e Campeonato Baiano. Há uma engenharia para fazer a tabela que atenda. Um adiamento de data, hoje, não teríamos datas posteriormente ao adiamento de qualquer uma das partidas antes do dia 3 de abril. Precisamos entender que é um momento atípico, que ninguém quer que aconteça, mas precisamos estar aptos e dialogando, sempre preservando a vida humana”, ponderou. 

O mandatário avaliou que a entidade está pronta para entregar o melhor produto possível. Uma das novidades será a relação com a arbitragem, que será bancada pela FBF.  “Se tratando de um período de retração da economia e de nossos clubes, com públicos limitados, fomos procurar parceiros, entidades privadas e governamentais, e conseguimos bancar a arbitragem na primeira fase, no valor de R$ 350 mil. Estamos mantendo também a premiação [de 2021], de R$ 400 mil do primeiro ao quarto. Serão R$ 750 mil aplicados diretamente ao Campeonato Baiano”, destacou Ricardo Lima. 

Por Cristiano Alves com informações de Miro Nascimento

Carlos Humberto/Agência CH

Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.