Publicidade

Diretoria busca impedir “peneira” irregular com o nome do Flu de Feira

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Mal começou o mandato, a nova diretoria do Fluminense está às voltas com a apuração de uma denuncia de que uma pessoa estaria utilizando o nome do clube, de maneira irregular para realização de avaliações em Palmas/TO para a descoberta de novos talentos para o esporte. A avaliação está marcada para amanhã na capital tocantinense, mas as providências estão sendo adotadas para evitar a suposta atividade chancelada pelo Touro do Sertão.

O presidente do Fluminense, José Francisco Pinto, o Zé Chico disse que a situação veio à tona no último sábado (11), quando recebeu um telefonema de Palmas/TO. “Era do sargento Sanchez da Polícia Militar informando que a instituição local estava por ceder as suas instalações, na parte esportiva, para uma avaliação do Fluminense de Feira, o que me causou surpresa porque essa diretoria assumiu o clube há poucos dias e nenhuma avaliação foi autorizada”, contou.

O mandatário relatou que lhe foi informado que um homem de prenome Lourival procurou a instituição – que já tem costume de realizar trabalhos sociais – para pedir a cessão do campo de futebol para que fosse realizada avaliação em nome do Fluminense de Feira e estaria cobrando uma taxa de R$ 50 por garoto inscrito. “As autoridades pediram um documento do clube e ele ficou de apresentar. Agora se existe este documento, não foi assinado por mim enquanto presidente. Pedi para que fosse realizada uma investigação lá e o que apuramos aqui é que esse cidadão que está tentando realizar a avaliação trabalhou como treinador de goleiros nas divisões de base do Fluminense. Trabalhou porque agora não temos ninguém e a situação se torna estranha porque ele está inclusive com material do clube. Já baixei uma portaria de que ninguém está autorizado a falar pelo clube a não ser a atual diretoria”, afirmou o presidente.

Além da nota no site oficial, a diretoria está apurando de onde teria partido a suposta autorização para que o cidadão utilizasse o nome do Fluminense. “Não podemos ainda afirmar nada. Vamos aguardar uma posição da Polícia Militar do Tocantins e averiguar a situação por aqui para que as providências sejam adotadas. O Fluminense é uma instituição de espeito”, ressaltou Zé Chico.

Por Cristiano Alves com informações de Miro Nascimento

Foto – Divulgação

Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.