Publicidade
Publicidade

Ganhando cem por cento de nada

Compartilhe este Post

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A transformação dos tradicionais clubes (times) de futebol em empresas é uma tendência mundial, a exemplo de clubes famosos da Espanha, Portugal, Itália, Alemanha, Inglaterra, Rússia, Bélgica entre outros. Foi os Estados Unidos através de Cosmo de Nova York que praticamente abriu o caminho para a transformação de clubes internacionais em empresas, tendo como principal investimento a contratação de Pelé, nos anos setenta. No Brasil conta-se de dedo os clubes que se transformaram em empresas e um deles está justamente em Feira de Santana que é o Bahia de Feira, que tem como principal investidor o empresário, Jodilton Oliveira. O Fluminense de Feira por pouco não teve a oportunidade dessa transformação, que só não ocorreu pela resistência de conselheiros ao hoje investidor do Bahia De Feira. Pelo menos um título de campeão baiano o Tremendão já conquistou como clube empresa, além de construir sua própria Arena, manter escolinhas de atletas e com futuro bastante promissor. Ao Fluminense não nos parece restar outra alternativa a seus conselheiros e entenderem que, mesmo que investidores obtenham lucros, faz parte do regime capitalista e empresarial, pois é preferível até que o clube, na pior das hipóteses ganhe um por cento de tudo do que cem por cento de nada, porque o que interessa aos torcedores e associados é time vencedor e essas conquistas provavelmente só acontecerão dentro do processo empresarial, ou seja, em clubes empresa. Caso contrário os times continuarão sendo eternamente times de futebol, ganhando cem por cento de nada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Posts Relacionados

60 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *